Home Embaixador Embaixada Relações bilaterais China ABC Serviço Consular Contactos  
 
 
 
 
  Home > Notícias
 
 
  Crescimento do PIB da China no primeiro trimestre do ano cai para 7,4%
 
  ( 2014/04/16 )
 
 
Dados divulgados hoje pela Administração Estatal de Estatísticas da China mostram que no primeiro trimestre deste ano, o crescimento do PIB do país foi de 7,4%, com um valor total de 12,8 trilhões de yuans. Em relação ao último trimestre do ano passado, a cifra caiu 0,3 ponto percentual. A taxa também foi menor do que a média de crescimento de 7,5% registrada em 2013.

Na coletiva de imprensa, o porta-voz da entidade, Sheng Laiyun, afirmou que a economia está seguindo um caminho estável e que o país tem confiança, capacidade e condições para concretizar um desenvolvimento sustentável de longo prazo. Em relação à desaceleração, Sheng Laiyun enumerou as razões.

"A China continua enfrentando um ambiente exterior difícil. O severo inverno da economia norte-americana tem exercido impacto negativo à economia chinesa. Por motivos financeiros, os países emergentes correm risco de ter suas economias estagnadas. As exportações desses países também são afetadas. A desaceleração da economia chinesa, além de ser fruto da reestruturação, é resultado do macrocontrole. Ao longo deste ano, o governo chinês, com o esforço de eliminar as empresas com capacidade atrasada de produção e combater à poluição ao meio ambiente, aposta mais no desenvolvimento verde e sustentável, ao custo da redução do crescimento econômico."

Por outro lado, o crescimento do valor agregado da indústria da China caiu para 8,8%, sendo o menor desde abril de 2009. O baixo índice contribui também para a queda do PIB nos primeiros três meses do ano. Porém, o emprego e o rendimento registraram bons índices. No primeiro trimestre, o país gerou três milhões de novos postos de trabalho nas regiões urbanas e o rendimento disponível per capita cresceu 8,6%. Os líderes chineses já tinham manifestado tolerância ao baixo ritmo de crescimento econômico se o emprego tiver uma boa garantia e não houver grande flutuação econômica.

"Para medir o bom andamento econômico, além de ter como referência o crescimento do PIB, são importantes também o desempenho de emprego e de rendimento. O desenvolvimento econômico é para garantir o emprego, e o emprego tem o objetivo de garantir o bem-estar da população."

Novos avanços na reestruturação e na escalada da economia chinesa são destaques do desempenho econômico do primeiro trimestre do ano. Para Sheng Laiyun, o país já entrou numa nova etapa de transformação do seu modelo de desenvolvimento, o que deve ser visto por um novo ângulo de vista.

"A desaceleração é um reflexo da transformação do modelo de desenvolvimento econômico do país. O governo reduziu o ritmo de crescimento para fazer o próprio mercado desempenhar o papel de promover a reestruturação. E além do mais, o crescimento de 7% a 8% também não é pequeno."

 
 


Suggest to a Friend
       Print
E-mail to us