Home Embaixador Embaixada Relações bilaterais China ABC Serviço Consular Contactos  
 
 
 
 
  Home > Notícias
 
 
  Intervenção do Sr. Embaixador Cai Run no Evento de "Covid-19: Health, Economic and Diplomatic Impact"
 
  ( 2020/03/12 )
 
 

Em 12 de Março, a Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Hong Kong e a Ordem dos Médicos de Portugal co-organizaram um evento subordinado ao tema "Covid-19: Health, Economic and Diplomatic Impact", para a Organização do qual o Sr. Embaixador Cai Run prestou uma intervenção em escrita. Segue-se em baixo a intervenção na íntegra.

Minhas senhoras, meus senhores, caros amigos,

Muito bom dia a todos.

Neste evento sobre a epidemia do Covid-19, vamos analisar as influências dos mais diversos aspectos desta epidemia e compartilhar as informações e medidas sobre a prevenção e controlo da epidemia, o que tem uma relevância notável para conjugar a força, reafirmar a confiança e vencer definitivamente esta epidemia. Gostaria de manifestar, em nome da Embaixada da China em Portugal, as saudações e agradecimentos à Organização deste evento.

Desde a eclosão da epidemia de COVID-19, com uma atitude altamente responsável pela vida e saúde do povo, a parte chinesa tem levado a prevenção e controlo da epidemia como o trabalho mais importante no momento atual, tendo tomado as medidas mais amplas e rigorosas da contenção. O Presidente Xi Jinping tem convocado várias reuniões para dispor e conduzir diretamente os trabalhos de resposta à epidemia, criando o Grupo de Liderança dos Trabalhos de Combate à Epidemia do Comité Central do PCCh. Com uma determinação idêntica por toda a China, foi estabelecido dentro de pouco tempo um Sistema de Força-Tarefa Interagencial contra a Epidemia que tem a cobertura de todo o país. Em menos de 7 dias, os cientístas da China separaram com sucesso a cepa do vírus e desenvolveram o kit de teste. Foram enviadas mais de cem equipas médicas para a província de Hubei, compostas por 40 mil profissionais de saúde provenientes das diversas regiões da China, e foi ativada a resposta de emergência de saúde pública de primeiro nível em 31 províncias chinesas. Milhares operários levaram cerca de 10 dias para concluir a construção dos 2 hospitais especializados, que forneceram mais de 2 mil camas, enquanto dezenas de milhares de voluntários trabalhavam dia e noite para transportar material de assistência a zonas afetadas pela epidemia. Com os esforços árduos por todo o país, a situação atual da contenção epidémica mantem a tendência positiva e a ordem da produção e vida está a ser retomada de forma acelerada. Ao mesmo tempo, temos de ficar cientes de que a tarefa de combater a epidemia na Província de Hubei e Cidade de Wuhan continua árdua e complexa. Mesmo assim, aproveitando as vantagens institucionais do socialismo com caraterísticas chinesas, dependendo de uma forte capacidade de mobilização e ricas experiências da resposta às emergências públicas de saúde, a parte chinesa tem toda a confiança, capacidade e certeza de sair vencedora nesta batalha contra a epidemia.

Desde o início da epidemia, com adesão a uma atitude aberta, transparente e responsável, o governo chinês tem intensificado a cooperação com a comunidade internacional no combate à epidemia. A parte chinesa comunicou em primeiro tempo à Organização Mundial de Saúde (OMS) as informações sobre a epidemia, e compartilhou atempadamente a sequência genética do vírus e trocou experiências e técnicas de contenção da epidemia com a comunidade internacional, tendo mantido contactos estreitos com os outros países e respondido sem demora às preocupações das partes relevantes, ganhando tempo para a prevenção e controlo da epidemia no âmbito global. No momento crucial da resposta global à epidemia, não obstante as suas próprias dificuldades, a parte chinesa tem fornecido ajuda dentro do alcance aos países mais atingidos pela epidemia em necessidade de assistência, e doou 20 milhões de dólares à OMS, para a apoiar na realização da cooperação internacional do combate à epidemia. As providências tomadas pela parte chinesa não apenas demonstram um sentido de responsabilidade assumido perante a vida e saúde do povo do seu próprio país, mas também constituem um contributo significativo para a segurança da saúde pública mundial. A China já recebeu demonstrações de solidariedade e apoio de personalidades políticas de mais de 170 países, bem como de mais de 40 responsáveis das organizações internacionais, como é o caso do Secretário-Geral das Nações Unidas Eng.º António Guterres e do Diretor-Geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus. Todos apreciam altamente os grandes esforços dedicados pela parte chinesa e os seus positivos efeitos já alcançados e afirmaram a disponibilidade de continuar a intensificar a coordenação e cooperação com a parte chinesa na luta contra a epidemia,manifestando a sua confiança na vitória da China nesta luta.

Ao longo da luta contra o surto, a parte chinesa comunicou oportunamente à parte portuguesa a evolução da epidemia e as medidas tomadas para a conter, proporcionou apoios no repatriamento bem-sucedido dos cidadãos portugueses de Wuhan a Portugal e avisou os cidadãos chineses que se encontram em ou pretendem vir a Portugal para colaborarem ativamente com a parte portuguesa na implementação das medidas de prevenção e controlo, apelando aos chineses que acabam de chegar da China para que cumpram o isolamento de 14 dias, enquanto a parte portuguesa e o seu povo manifestaram desde o primeiro momento solidariedade e apoios à parte chinesa e ao povo chinês, torcendo mediante diversas maneiras por Wuhan, pela China, e rejeitando quaisquer palavras ou comportamentos discriminatórios dirigidos a determinados países ou povos. A fraternidade sempre fica mais patente nos tempos difíceis. Ficamos profundamente admirados e gratos pela gentileza e apoio de Portugal e do seu povo.

Atualmente, a comunidade internacional presta uma larga atenção ao impacto da epidemia à economia chinesa, que também constitui, de facto, uma questão que a parte chinesa bem valoriza e está empenhada em resolver. Sua Excelência o Presidente Xi Jinping salientou que se deve promover os trabalhos do desenvolvimento sócio-económico em paralelo aos trabalhos da contenção da epidemia. Quando se diligenciam indefessamente para que todos os trabalhos ligados à prevenção e controlo da epidemia sejam implementados de maneira mais rigorosa, sólida e minuciosa, deve-se estabelecer as ordens sócio-económicas que se compatibilizam com os trabalhos de prevenção e controlo da epidemia, procurando que o desenvolvimento sócio-económico nacional retome mais cedo o trilho normal de forma abrangente e minimizando os impactos da epidemia à economia. Por longo prazo, esses impactos são transitórios e controláveis em geral. Não se altera a performance da economia chinesa que se destaca pela sua estabilidade e que tende para um crescimento positivo de longo prazo. A China é o maior país do comércio de mercadorias no mundo, o maior país detentor de reservas cambiais, o segundo maior destino de capital estrangeiro, e o único país no mundo que tem a categoria industrial completa, conforme a classificação setorial das Nações Unidas, com alicerces económicos sólidos. A comunidade de rendimento médio da China tem mais de 400 milhões de pessoas. A economia digital, a cibereconomia e a economia compartilhada da China vêm tendo uma expressão exponencial, e a China dispõe de um vasto espaço de mercado e grande potencial do desenvolvimento. Ao mesmo tempo, com o empenho em alargar o acesso do investimento estrangeiro, aumentar a importação dos bens e serviços, dar ênfase à proteção da propriedade intelectual e incentivar a abertura no setor financeiro, a economia chinesa terá um futuro mais brilhante ao aprofundar a reforma e ampliar a abertura. A China é completamente capaz de concretizar o objetivo da conclusão da construção da sociedade moderadamente abastecida neste ano, obter sucesso na luta decisiva contra a pobreza e atingir a meta do desenvolvimento sócio-económico previsto pelo Décimo Terceiro Plano Quinquenal para o este ano. A China também é absolutamente capaz de dar continuidade ao desenvolvimento duradoiro e estável da sua economia, fornecendo um suporte forte para promover o crescimento estável da economia mundial.

Perante a epidemia, os seres humanos compartilham o mesmo desafio, responsabilidades e destino. Só com a adesão ao multilaterarismo e a consciência de comunidade é que se consegue vencer a epidemia e seguir a tendência da época, que é desenvolvimento pacífico e cooperação de ganhos compartilhados. O conceito da construção da Comunidade de Destino Comum para a Humanidade, proposto pelo Senhor Presidente Xi Jinping, revelou os valores comuns dos seres humanos e indicou um bom caminho do desenvolvimento do mundo e o futuro da humanidade, ao fazer face aos problemas mais importantes e urgentes do mundo, sendo o conceito independente dos sistemas sociais, histórias e culturas, fases de desenvolvimento diferentes. A China está disposta a trabalhar, de mãos dadas com a comunidade internacional, inclusive Portugal, para aprofundar constantemente a confiança e cooperação entre si no combate conjunto à epidemia, fazendo o máximo para sair vencedores nesta batalha contra a epidemia, salvaguardar em conjunto a vida e saúde dos povos dos dois países e do mundo e fazer novos contributos para estabelecer a Comunidade de Destino Comum da Humanidade.

 


Suggest to a Friend
       Print
E-mail to us