Home Embaixador Embaixada Relações bilaterais China ABC Serviço Consular Contactos  
 
 
 
 
  Home > temas actuais
 
 
  Premiê da China participa pela segunda vez do Fórum de Davos
 
  ( 2015/01/20 )
 
 
O Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, vai se realizar entre os dias 21 e 24 de Janeiro. O premiê da China, Li Keqiang, vai participar da conferência para transmitir a voz da China. Esta é a segunda participação de Li Keqiang no fórum e também a segunda participação de um premiê chinês desde 2009. Além de altos-funcionários do governo, empresários e economistas da China também foram convidados para o evento. Segundo a previsão, uma cooperação financeira com a Suíça seria um ponto importante para a visita da parte chinesa desta vez.

Esta será a oitava visita de Li Daokui, professor do Centro de Pesquisa para economia mundial da Universidade de Tsinghua. Sendo um representante especial para o fórum, ele vai participar de uma discussão exclusiva sobre a perspectiva e a situação atual da economia chinesa, de um debate sobre geopolítica e desenvolvimento econômico e também de uma conferência fechada entre os gigantes da indústria mineral, um dos eventos tradicional do Fórum de Davos, que vai discutir a atual situação da economia mundial.

Uma alta formação acadêmica exterior, um grande entendimento das finanças ocidentais e uma experiência de trabalho para a organização da política monetária da China, são os três fatores que fazem do professor Li Daokui um profissional respeitado. Porém, uma alta atenção à economia chinesa é outro fator muito importante.

O ex-embaixador da China na Suíça, Dong Jinyi, relembrou a participação do ex-premiê, Wen Jiabao, no fórum de 2009, quando o mundo sofria com a crise financeira internacional.

A agenda do líder chinês é muito ocupada. Todos os participantes do fórum prestaram alta atenção à voz da China. E eles queriam muito falar com o premiê e a delegação da China.

A visita à Suíça do premiê Li Keqiang será sua terceira nos últimos cinco anos. O líder chinês valoriza muito o desenvolvimento e a reforma nas finanças. Por isso, Dong Jingyi acha que, como a Suiça é um centro financeiro internacional, este deverá ser um conteúdo importante da visita.

A cooperação na área de finanças deverá ser promovida. A Suíça é um centro financeiro internacional. A pouca participação das empresas chinesas do setor é uma grande pena para ambos os lados. Acredito que as duas partes tenham chance de desenvolver uma boa cooperação.

Li Daokui apoia também a opinião. Ele acha que a Suíça está a procurar uma cooperação financeira com a China.

A economia da Suíça é desenvolvida. A força da economia do país também é positiva e atrai uma atenção excessiva de todo mundo. A entrada de uma grande quantidade de capital internacional já causou um golpe para a economia real, proporcionando uma valorização consequente da moeda do país. Para resolver o problema, a Suíça precisa muito da cooperação financeira com a China, precisa da internacionalização da moeda chinesa.

 
 


Suggest to a Friend
       Print
E-mail to us